maio 22, 2011

Wagner Borges - Operações cármicas




Operações cármicas
Wagner Borges
.

.
Quando o anjo do carma aparece, muita coisa muda na vida das pessoas.
De seu movimento, surgem as ondulações dos acontecimentos, a repulsão ou atração das energias, o ciclo das leis de causa e efeito.
Oportunidades e desventuras se alternam sob seu trabalho.
Que as pessoas de má intenção se acautelem, pois o anjo do carma está operando e administrando os pensamentos e atos de cada ser humano.
Quem viola as leis do equilíbrio vital, tem que arcar com as consequências inevitáveis de seus atos.
Não se trata de cobrança divina ou de punição cósmica.
É apenas o princípio natural de Causa e Efeito.
Se o equilíbrio vital é quebrado por alguém, o anjo do carma entra em ação, operando as devidas disposições cármicas* e atrelando-as ao campo espiritual do causador da ação. Não há como enganar o Universo.
O anjo do carma sabe que a pessoa é imortal e, por isso, ele não se apressa.
Sua ação pode ser agora, após a morte, ou na próxima existência...

É inexorável: as repercussões dos atos retornam ao centro que originou suas causas.
É vital: fazer o Bem sem olhar a quem e estar ligado à produção de energias sadias no contexto das vidas.
É importante: expandir a consciência e o amor por todos os planos...
É correto dizer: "se a semeadura é livre, a colheita é obrigatória!"

Os sábios espirituais orientam:
- Abstenha-se de gerar causas que levem a efeitos deletérios.
- Siga o fluxo da vida e torne-se amigo das forças sutis que movimentam as ondas de luz na existência de todos.
- Ordene os pensamentos, equilibre as emoções e seja flexível na manifestação diária.
- Prime por uma conduta ética, não por causa da opinião de alguém, mas porque isso faz bem e atrai as vibrações de seres de luz.

Medite no seguinte:
1. Você age;
2. O efeito correspondente aparece;
3. O tempo passa;
4. O anjo do carma aparece e opera as devidas equações de reajuste e equilíbrio;
5. Sob sua ação inexorável, ocorre uma série de eventos em sua vida;
6. Você se pergunta, confuso: por que isso?
7. O anjo responde invisivelmente: "a cada um segundo suas obras";
8. Você se vê envolvido em uma teia de acontecimentos e de relações inevitáveis;
9. Você sofre;
10. Então, surgem duas opções:
- Você abre a mente e melhora sua manifestação na vida;
- Você se revolta e gera novas repercussões negativas à frente;
11. Pense em tudo o que você está lendo aqui e veja para onde sua vida o está levando;
12. Combata o egoísmo;
13. Renove a consciência;
14. FAÇA O BEM! (sem esperar recompensas);
15. O anjo do carma está sempre presente. Não duvide disto!
16. Diga não ao terror!
17. Diga SIM ao AMOR!
18. Termine as batalhas emocionais no campo de seus sentimentos;
19. Esqueça as ofensas e sinta-se livre!
20. PAZ E LUZ!

- Os Iniciados**
(Recebido espiritualmente por Wagner Borges - Texto extraído do livro
Viagem Espiritual - Vol. 3 - Editora Universalista - 1998)

- Notas:
* Cármicas: do sânscrito Karma - ação, causa - toda ação gera uma reação correspondente; toda causa gera o seu efeito correspondente. A esse mecanismo universal os hindus chamaram carma. Suas repercussões na vida dos seres e seus atos podem ser denominados de consequências cármicas.
** Os Iniciados - grupo extrafísico de espíritos orientais que opera nos planos invisíveis do Ocidente, passando as informações espirituais oriundas da sabedoria antiga, adaptadas aos tempos modernos e direcionadas aos estudantes espirituais do presente. Composto por amparadores hindus, chineses, egípcios, tibetanos, japoneses e alguns gregos, eles têm o compromisso de ventilar os antigos valores espirituais do Oriente nos modernos caminhos do Ocidente, fazendo disso uma síntese universalista. Estão ligados aos espíritos da Fraternidade da Cruz e do Triângulo. Segundo eles, são "iniciados" em fazer o bem, sem olhar a quem.
Obs.: enquanto eu passava essas linhas a limpo, lembrei-me de outro texto, correlacionado com a mesma temática. Segue-se o mesmo logo abaixo.
.
Operações conscienciais
.
Ah, aquelas feridas que não saram.
Aqueles sentimentos que surgem, repentinamente, e não se sabe de onde.
Aquelas ondas estranhas que sabotam nossas melhores possibilidades.
E, junto com isso, aqueles caras extrafísicos, também estranhos, que grudam igual chiclete em nossas auras*.
Nós e eles somos vítimas da mesma coisa estranha: nossas emoções mal resolvidas, que nos levam à inércia consciencial.
Enquanto deixarmos tais coisas comandarem nossos rumos, seremos presas fáceis de várias encrencas.
Enquanto não priorizarmos o bom senso em nossas escolhas e rumos, seremos bombardeados por nós mesmos, por dentro, nas ondas do furacão que criarmos.
Somos meio autosabotadores de nós mesmos - e também dos outros.
O nosso ego nos diz que somos muito especiais, mas, no dia em que nascemos não foi feriado no Universo. E no dia que partirmos definitivamente da Terra, também não será feriado no universo.
Carregando emoções estranhas, como podemos ser especiais?
Acolhendo encrencas e deixando-se levar por elas, como decolar espiritualmente?
Permitindo a violência em nossos propósitos, como dizer que se está caminhando bem?
Uma pergunta se faz necessária aqui: se estudamos temas conscienciais profundos, como é possível que ainda carreguemos tantas tralhas em nossos corações?...
O fato de estudarmos tais temas, por si só, já seria um dos grandes motivos de sermos muito gratos ao Grande Arquiteto Do Universo, e de sermos felizes, pois fomos agraciados com tantas coisas legais e úteis no contexto de nossas vidas.
Por que somos estranhos, se somos felizardos de tanta luz estar chegando em nossas vidas?
Sabemos que a morte não pode tocar a nenhum de nós, em espírito, nem aos nossos entes-queridos. Então, por que as emoções estranhas sempre se apresentam nos momentos de perda?
Aliás, que perda, já que nada nos pertence mesmo?
Na natureza das coisas terrenas, há coisas que ficam por um tempo, outras por um tempinho, e outras mais por um tempão, mas, tudo passa!
Tudo por aqui é transitório, inclusive a nossa própria vida física.
A característica da existência terrestre é a impermanência, nada é para sempre e, por aqui, tudo muda.
Logo, somos passageiros no planeta, e há outros rumos, além...
A partir disso, podemos pensar em como é estranho permitir emoções insidiosas e conflitantes, pois elas se baseiam sempre em coisas transitórias.
O apego, então, é pura ilusão, já que nada é nosso em definitivo, nem mesmo o corpo físico.
Inveja, arrogância, tendência a perder as estribeiras, medo e tantas outras coisas estranhas que deixamos chegar até nós, nem têm mais motivo de existir quando nos tocamos da transitoriedade das coisas.
Então, por que as emoções estranhas ainda estão presentes em nós?
Talvez, seja por causa de vidas passadas, ou de coisas da infância, por exemplo, mas, ainda assim, a solução é a mesma: altas doses de bom senso e ponderação em tudo.
Investigar, com o escrutínio do discernimento, o porquê daquilo se apresentar em dado momento, ou o porquê de tal emoção sempre cruzar o coração em determinadas situações.
Meditar e observar o que se passa, na mente, no coração, como se fôssemos um observador de fora daquilo.
Lembrarmos mais que somos espíritos imortais e que não atravessamos as jornadas das existências seriadas sozinhos, pois muitas consciências extrafísicas nos acompanham de outros planos e torcem para que despertemos consciencialmente.
E, além disso, também podemos nos lembrar daqueles que a vida colocou no nosso perímetro existencial e que também torcem por nós: os nossos entes queridos, que podem ser nossos amigos sinceros - ou os nossos parentes imediatos.
Na Terra, ou no Astral, somos os mesmos. E precisamos cortar, com o bisturi do discernimento, as nossas emoções estranhas, sem reprimi-las, mas, transformando-as em estímulo criativo que nos leve para frente...

P.S.:
Na verdade, somos cirurgiões de nós mesmos.
Então, que tal operarmos os nossos tumores emocionais?
Que tal extirparmos os cancros de nossas mágoas?
Que tal dissolvermos as crostas da estagnação de nossas ideias?
Que tal despertarmos para o imenso potencial que temos?
Que tal deixarmos de ser estranhos?
Que tal pensarmos nisso?
Que tal sermos felizes?...

Paz e Luz.

- Wagner Borges, mestre de nada e discípulo de coisa alguma.

Fonte: IPPB Grupos (22/05/2011)
 
- Nota:
* Aura: do latim, aura - sopro de ar - halo luminoso de distintas cores que envolve o corpo físico e que reflete, energeticamente, o que o indivíduo pensa, sente e vivencia no seu mundo íntimo; psicosfera; campo energético.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários moderados. Participações ofensivas e anônimas não serão publicadas. Gratidão, Paz e Luz!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Feeds transicionando