junho 17, 2012

Consciência: potencialidade do cosmo - Autoria: Marcos Spagnuolo Souza

.

Consciência: potencialidade do Cosmo
Autoria: Marcos Spagnuolo Souza
16/06/2012
 .
.
A consciência é uma das potencialidades do cosmo. Cada consciência possui sua ontogenia (história de vida) e a natureza agrupa as consciências que possuem sinergias entre si em campos específicos. O campo específico está inserido em determinada frequência vibratória ou nível de ondas quânticas. As ondas quânticas conduzem informações e as consciências estão inseridas nesse mar energético que possui ondas de possibilidades (ondas quânticas). A natureza em acoplamento estrutural com a ontogenia das consciências individuais gera o colapso do campo energético em uma única possibilidade, transformando as ondas de possibilidades em um campo real, material, inclusive com corpos físicos, para as consciências perceberem suas verdades através do colapso das ondas. 
As consciências utilizando o corpo material implantado no mundo do colapso das ondas de determinado campo recebe 400 bilhões de bits por segundo do campo, mas somente processa 2.000 bits que é a possibilidade do corpo material, percebendo somente o que foi colapsado pela natureza. O corpo material permite a consciência ter percepção apenas da ponta do iceberg, o que significa que muitas coisas estão acontecendo no campo que não temos conhecimento. Recebemos informações, mas nós não as absorvemos pelo corpo material devido a nossa ontogenia. A maior parte das informações que recebemos é descartada, são inconscientes para nós. 
Existem campos quânticos que variam da escala da mais baixa para altíssimas freqüências e cada consciência capta somente o que foi colapsado pela natureza em um campo específico conforme sua ontogenia. Imaginamos o universo sendo constituído por infinitas freqüências de energia e conseguimos captar apenas o que foi colapsado pela natureza dentro de determinado campo. A consciência utilizando o corpo material que é um dos produtos colapsados pela natureza fica totalmente condicionada a outras infinitas possibilidades. 
A nossa consciência vivencia o mínimo das informações recebidas e estas informações que processamos nos condicionam, inserindo-nos em determinada realidade que passamos a considerar como sendo verdades inquestionáveis. Estas verdades inquestionáveis nos colocam inseridos em uma vida bastante limitada em todos os aspectos, inclusive fazendo-nos crer que o mundo externo é mais real que o interno, a acreditar que o nosso corpo físico é uma realidade que determina a nossa consciência. A consciência envolvida pelo corpo denso processa os 2.000 bits de informações elaborando pensamentos. O que pensamos é produto dos bits acessados pelo corpo material e quanto maior a crença da consciência nos pensamentos o campo colapsado fica mais denso. Estamos vivendo em um mundo material porque o nosso pensamento está condicionado ao pensamento da existência de coisas materiais, assim sendo, a consciência é colocada na virtualidade do mundo material. 
Quando pensamos em objetos tomamos a realidade cada vez mais concreta e vamos ficando presos na uniformidade da realidade. Passamos a pensar que a realidade é completa, impossível de ser alterada pela consciência, que a consciência não possui outras possibilidades. O ato de pensar nas impossibilidades da consciência nos afasta da natureza de forma consistente, justamente por não acreditarmos que na consciência está a origem da realidade que vivenciamos. Acreditamos que a consciência não pode mudar nada, pois a realidade é independente da consciência e dos pensamentos. Estamos condicionados ao pensamento que o observador (consciência) não desempenha nenhum papel dentro do ambiente que estamos. Pensamos que os objetos se movem de acordo com leis deterministas e não podemos reagir diante da realidade das coisas. Ao invés de pensarmos nas coisas como sendo possibilidades da consciência, formamos o hábito de pensar que as coisas que nos cercam já são objetos que existem sem a contribuição da consciência. Quando nos descondicionamos da forma objetiva dos pensamentos, passamos a reconhecer que o mundo material que nos cerca é apenas uma das infinitas possibilidades da natureza. Descondicionando a consciência das formas materiais, compreendemos que os átomos ou subpartículas não são objetos, são possibilidades da consciência.
.
.
Autoria: Marcos Spagnuolo Souza
Email: marcospagnuolo@uol.com.br
Fonte: http://somostodosum.ig.com.br/clube/c.asp?id=26485
16/06/2012
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários moderados. Participações ofensivas e anônimas não serão publicadas. Gratidão, Paz e Luz!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Feeds transicionando