novembro 27, 2012

Assumindo as verdades de nossa alma. - Autoria: Teresa Cristina Pascotto.

.

Assumindo as verdades de nossa alma.
Autoria: Teresa Cristina Pascotto.
24/11/2012
.
  .
Ter um firme posicionamento manifestando-se a partir das verdades de nossa alma, dentro de um mundo mergulhado em mentiras e hipocrisias, onde todos aprenderam a se esconder em suas próprias ilusões e das quais não querem abrir mão, por temerem perder a pseudo-segurança, é um ato de extrema coragem. Quando nos determinamos a nos firmar em nossas verdades, sem a intenção de convencermos aos outros e sem a pretensão de sermos os donos da verdade, mas com a simples e pura intenção de alma de trazermos para a humanidade um pouco de Luz e informação da "realidade Divina", a vida se torna difícil e solitária, pois quando também éramos zumbis, inconscientes e prisioneiros de nossas ilusões, até conseguíamos nos relacionar com o mundo com mais facilidade e isso nos trazia a falsa sensação de pertencer.
Porém, quando despertamos do sono em que nossos egos nos colocaram, começamos a sentir o forte impulso de suas almas a nos mostrar a nova direção. Essa direção não é clara e definida, mas ainda assim, nos determinamos a segui-lo, porque não é mais possível continuarmos no caminho das ilusões. Desconstruir ilusões é um ato de bravura, pois elas são a nossa mais "verdadeira realidade", acreditamos fortemente em tudo o que o ego construiu, em suas crenças negativas e em todas as soluções e estratégias de sobrevivência que ele criou para nos colocar em "segurança". Apesar de ilusório, esse era nosso "mundo real" e sem essa falsa realidade nos sentimos desprotegidos, desamparados e sem referência, e isso nos torna muito vulneráveis e nos leva a questionar se o caminho da alma é realmente o melhor e se existe de fato, pois este caminho é apenas mostrado para nós através de sensações e intuições que, quando estamos banhados nessa força, são totalmente reais, mas quando nos desconectamos desse momento sublime e voltamos a pisar em nossa falsa vida, as dúvidas tomam conta de nosso ser. É um caminho solitário e sem nenhuma garantia.
Despertar a consciência é a condição mais Divina que nos acontece na vida, mas até que nos firmemos nessa condição e nos acostumemos com o caminho da alma, passamos por muitas resistências e armadilhas do ego, que faz de tudo para cairmos, sofrermos e nos perdermos, criando e atraindo uma infinidade de condições para nos fazer sofrer e acreditar que o caminho da alma é ilusório e perigoso. Nos momentos em que o ego consegue nos colocar em situações de dor e pânico, realmente questionamos se devemos mesmo seguir adiante, pois nossa mente fica perturbada e começa a desacreditar tudo o que, em outro momento, era a pura verdade para nós.
Entre todos os atropelos que o ego cria para nos fazer desistir, o que mais nos coloca em pânico é quando ele nos deixa expressar as verdades de nossa alma, sem agir contrariamente e, diante dessa expressão, somos colocados frente a situações e pessoas que aceitam as verdades da alma conforme as manifestamos e se confortam ao estarem dentro da energia que vibramos na verdade de nossa alma. Nesse momento, somos agraciados pela força Divina, pois as energias que nos envolvem são sublimes e nos fazem entrar na força da verdade manifestada e somos levados às esferas de Luz e somos conduzidos a entrar em sintonia com dimensões de frequências elevadas, entrando em expansão de consciência, e tudo se mostra perfeito, verdadeiro e único. Nada temos a questionar, o outro sente a força das verdades de sua própria alma que se identificam com as verdades da nossa e isso o fortalece e, naquele instante, tudo é Luz, verdade e pureza de alma.
Neste ponto podemos ver, sentir e perceber claramente, as mentiras e conflitos que o ego criou e isso expande ainda mais a nossa consciência. Tudo é perfeito, nada temos a contestar, a duvidar, nada pode nos tirar do poder dessas verdades, tudo fica divinamente perfeito. Porém, como este estado divino não é sustentado por todo o tempo, por vivermos mergulhados na dualidade - mesmo que nós estejamos mais acostumados a nos sustentarmos nesse lugar de equilíbrio e nos mantenhamos mais conectados -, a outra pessoa, que não está acostumada a esse estado de poder pessoal, começa a se inquietar pelo barulho que seu ego começa a fazer, trazendo dúvidas e medos à pessoa, para que ela saia imediatamente do estado alcançado.
Quando isto acontece, que pode ser no momento ou em horas ou dias depois do ocorrido, finalmente, o ego da pessoa vence e a coloca em sérias dúvidas quanto ao que ocorreu e quanto às verdades que ela descobriu em seu inconsciente, que no momento da expansão dentro da verdade de sua alma, eram a mais pura e real de todas as suas verdades, mas quando seu ego a leva a entrar em situações que ativam seus medos, a pessoa questiona aquela realidade e se entrega novamente ao poder de seu ego, o qual passa a querer nos atacar (a nós, que ajudamos a pessoa a acessar suas verdades), a nos confrontar, tentando provar sua "pseudo-verdade", querendo provar a "falsidade" de tudo o que afirmamos com toda a propriedade e força de nossa alma para a pessoa. O ego da pessoa toma conta da situação e passa a nos desafiar. Porém, nos mantemos muito firmes na força de nossa alma, e isso nos conduz a perceber o quão difícil é sermos "portadores da verdade", dentro de um mundo tão prisioneiro das mentiras e ilusões autocriadas.
Aqui entramos em contato com um pouco mais de nossas crenças ocultas mais profundamente em nosso inconsciente, que se manifestam naturalmente, dizendo-nos que não vale a pena sermos contrários ao que o mundo espera de nós, que estamos correndo sérios riscos de sermos ridicularizados ou rejeitados por todos se prosseguirmos nesse caminho da verdade da alma. Ao percebermos isso, sentimos a força do medo que sempre esteve em nosso encalço durante toda a nossa vida, fazendo-nos fugir de nossa missão, mas, apesar de sentirmos esse medo, não nos deixamos intimidar e não recuamos em nossa escolha, pois já estarmos tão firmes em nosso propósito de vida, em trazermos a força da verdade divina para ser manifestada aqui na dualidade, que mesmo com a tristeza da constatação de que nosso caminho é difícil e de que não seremos "amados" por trazermos a verdade, ainda assim, uma força cresce em nosso coração e nos firmamos ainda mais em nosso propósito, sem temer o que irá nos acontecer.
Não nos importamos mais se seremos vistos de forma distorcida, se não seremos compreendidos em tudo o que fizermos em nossa vida, na interação com o mundo, seja na vida familiar, profissional, amorosa e nos relacionamentos gerais. Mas sentimos certa tristeza por tomarmos plena consciência de que nossa real missão - ser portadores da verdade -, apesar de maravilhosa, nos trará consequências dolorosas porque enfrentaremos a contrariedade, o ódio, a rejeição e os ataques de muitos egos que não querem que os tiremos de seu poder, quando oferecemos às pessoas as verdades divinas de sua alma. Porém, quando aceitamos a nossa missão, independentemente, do que ela nos traga de dificuldades, o Universo nos favorece, pois estamos ajudando a gerar energia que o move e, com isso, as dificuldades não passarão de meras "pedrinhas em nosso caminho", e continuaremos firmes, seguindo com a força de nosso coração.
.
.
Autoria: Teresa Cristina Pascotto (24/11/2012)
Email: crispascotto@hotmail.com
Fonte: http://somostodosum.ig.com.br/clube/c.asp?id=32450
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários moderados. Participações ofensivas e anônimas não serão publicadas. Gratidão, Paz e Luz!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Feeds transicionando